Cultura Inglesa – Cobertura COP26 (Glasglow)

Os alunos da Cultura Inglesa estão participando da Conferência Sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas (COP). Nela, líderes mundiais, ministros e outras autoridades discutem o tema das mudanças climáticas. A 26ª edição acontece neste ano. Ela é considerada crucial para as definições de como os países devem se comportar a partir de agora. As autoridades vão reavaliar os compromissos levantados pelo Acordo de Paris, fruto da histórica COP 21.

Nossos queridos estudantes produziram diversos conteúdos relacionados ao evento. Confira abaixo algumas reflexões dos nossos alunos.

Eric Susuki Schliemann, aluno da Cultura Inglesa do curso IPTC, fala um pouco sobre o que ele observou durante o evento.

Qual a diferença entre tempo e clima?

A diferença entre esses dois termos é a seguinte: o tempo é a situação meteorológica de determinada região em um momento específico. Isto é, a temperatura do lugar, se está chovendo, fazendo sol. A ciência que estuda o tempo é a meteorologia. Nesse sentido, podemos achar informações sobre o tempo assistindo a um jornal ou pesquisando na internet a previsão do tempo.

Já o clima, por sua vez, é a sucessão de tempos por um longo período (mais de 30 anos) em uma determinada região. Na prática, são as probabilidades de alguns fenômenos acontecerem em algumas regiões durante as partes do ano. Exemplo: em climas equatoriais, temos índices de chuva elevados durante o ano todo, altas temperaturas e pouca variação de temperatura ao longo do ano. A ciência que estuda o clima é a climatologia. Como exemplo, podemos achar informações sobre o clima de um local a partir de um climograma, como este:

O que é a mudança climática? 

Como, agora, vocês já sabem o que é o clima, a mudança climática fica mais fácil para se explicar! Em primeiro lugar, ela ocorre naturalmente ao longo do tempo, mas de maneira bem mais suave: os seres humanos estão acelerando essa alteração de maneira gravíssima.

Ao realizarmos mudanças no clima, mudaremos as características das regiões de diversas maneiras: mudar o clima prejudica a biodiversidade local em diversas escalas e, consequentemente, afetará diretamente o cotidiano daqueles que vivem no local, podendo causar problemas de saúde e economia, por exemplo.

Mas, mesmo sabendo sobre essa questão, quais ações individuais posso realizar para ajudar efetivamente o clima?

Assim como o tema do Your Voice da Cultura Inglesa diz, o melhor caminho para a mudança envolve todas as vozes! Ou seja, cada um precisa fazer a sua parte com pequenas ações! Isto é, diminuir o consumo de carne, utilizar meios de transporte alternativos para ir a lugares próximos, fazer a reciclagem do lixo, são apenas alguns exemplos! Além disso, por que não ajudar a dar visibilidade a essa importante causa? Compartilhe o nosso trabalho para mais pessoas!

Outro ponto importante foi levantado pela Juliana Moura Niel, aluna do 8º semestre de licenciatura em Letras – Inglês da Faculdade Cultura Inglesa.

Você sabia que há algo que você pode começar a fazer agora mesmo que pode mudar o futuro do planeta para sempre?

30% das emissões de gases de efeito estufa vêm de como os alimentos que comemos diariamente são feitos. Como resultado, há uma grande quantidade de água, terra, tempo e energia que vai para a produção de alimentos em grande escala e, às vezes, essa comida nem vai para o nosso prato. Todos os dias uma quantidade considerável dela vai para o lixo.

No momento, uma das conferências sobre mudança climática mais importantes, a COP26, está acontecendo em Glasgow. É um encontro vital que vai ajudar a decidir o futuro do planeta. Cada país, organização e indivíduo pode fazer a diferença!

Uma maneira simples, mas eficaz de reduzir esses problemas é dar o nosso melhor para preservar os alimentos que temos. Ou seja, evitar o desperdício e apoiar os pequenos agricultores ao invés das grandes indústrias. Algo como comprar apenas o que precisamos. Além disso, tentar reduzir nosso consumo de carnes e laticínios e até mesmo mudar a temperatura da geladeira para conservar os alimentos por mais tempo.

O que você está fazendo para contribuir com o planeta? Diga nos na seção de comentários abaixo!

Mateus Vieira de Paoli, aluno do 8º semestre de licenciatura em Letras – Inglês da Faculdade Cultura Inglesa, nos alerta para os problemas da decomposição de plástico.

Você sabia que, de acordo com o WWF-Austrália, uma escova de dente de plástico leva aproximadamente 500 anos para se decompor?

Tente imaginar quantas escovas você jogou fora em sua vida. Agora inclua seus parentes, vizinhos e todas as pessoas ao redor do globo.

Atualmente, mais de 99% do plástico é feito a partir de combustíveis fósseis: um dos maiores responsáveis ​​pela emissão de dióxido de carbono e metano (gases de efeito estufa). Para esclarecer, não só o canudo plástico – que é o mais citado – faz mal ao meio ambiente, mas tudo o que dele é composto.

Líderes de todo o mundo estão agora prontos para tomar decisões e acordos que vão determinar o futuro do clima e, consequentemente, do mundo em que vivemos. Esta é a COP26, o evento que traz objetivos, compromissos e provoca reflexão para o enfrentamento das mudanças climáticas que envolvem todas as nações.

Fique ligado no instagram deles para saber mais sobre o futuro do nosso planeta e adquira uma escova de dentes à base de bambu. 😉

Marina da Camara Segre, aluna do IPTC, mostra um pouco do seu posicionamento sobre as mudanças climáticas.

Neste momento, os efeitos das mudanças climáticas estão ao nosso redor. Precisamos de pressão das pessoas, para fazer uma mudança maior, vamos precisar de todos, porque as grandes corporações e o governo não vão mudar sem qualquer pressão, é hora de entrar em ação!

Sobre os problemas da emissão de Carbono, Sofia de Castro Daniel, aluna do Upper Intermediate 1, comenta:

Você sabe o que é carbono e por que é importante falar sobre ele?

O carbono é um elemento químico que está presente em diversas formas. Quando falamos sobre carbono e mudanças climáticas, o carbono em questão está na forma de dióxido de carbono ou CO2, presente na atmosfera, que atua no efeito estufa. 

Embora este seja um evento natural, importante para manter a temperatura da Terra em um nível que permita a vida, o excesso na emissão de CO2 (entre outros gases do efeito estufa) causado por ações humanas está levando a um aumento na temperatura global, o que está reduzindo a biodiversidade.

O CO2 é o gás do efeito estufa mais abundante, por isso, para combater as mudanças climáticas, precisamos falar sobre carbono. Na COP26, especialistas do mundo todo discutem soluções para reduzir as emissões de CO2 e temas como cidades sustentáveis com carbono neutro, florestas, pesquisas, inovações e até como os esportes podem ajudar a combater a crise climática.

A COP26 é a primeira COP a obter a validação de neutralidade de carbono pelo padrão PAS2060, contando com projetos de compensação pelo carbono emitido.